Menu

+351 213 807 501

PortuguêsPortuguês

GLOSSÁRIO

Para obter mais informações sobre alguns dos termos associados com cada uma das nossas 6 plataformas: Lubricants & Fuel Additives, Maintenance, Parts Cleaning, Partsmaster, Waste Water e Water Treatment, aceda ao nosso glossário:

A-gloss
  • Amilase - enzima que inícia a degradação dos hidratos de carbono.
  • Ácido Clorídrico - O composto químico ácido clorídrico é a solução aquosa (à base de água) do gás cloreto de hidrogénio (HCl). É um ácido forte, o componente principal do ácido gástrico e tem uma ampla utilização industrial. É um ácido altamente corrosivo.
  • Ácido Fosfórico -As soluções aquosas puras de 75-85% (as mais comuns) são líquidos claros, incolores, inodoros, não voláteis, bastante viscosos (como xarope) mas podem ser vertidos. O ácido fosfórico é muito usado como solução aquosa de 85% de ácido fosfórico ou H3PO4. Como é um ácido concentrado, uma solução de 85% pode ser corrosiva, embora não seja tóxica quando é diluída.
  • Ácidos Gordos - Ácidos produzidos quando as gorduras são decompostas. Estes ácidos não são muito solúveis em água e podem ser usados pela maioria dos tipos de células para obter energia.
  • Ácido Sulfamídico - É um composto molecular com a fórmula H3NSO3. Este composto incolor e hidrossolúvel tem várias aplicações. O ácido sulfamídico é membro das seguintes séries de compostos: H2SO4 (ácido sulfúrico), H3NSO3 (ácido sulfâmico), H4N2SO2 (sulfamida)
  • Aditivos para gasóleo - Os aditivos para gasóleo são usados para melhorar o desempenho do gasóleo (melhoram a combustão, diminuem a contaminação, reduzem as emissões de escape e aumentam a lubrificação).
  • Agentes Anti-corrosão - aditivo que protege superfícies metálicas lubrificadas de ataques químicos de água ou outros contaminantes.
  • Agentes Desidratantes - Aditivos que separam e forçam a água para o fundo do tanque. Ajudam a reduzir as obstruções causadas pela formação de gelo no inverno.
  • Agentes Dispersantes e Detergentes - Aditivos que ajudam a dispersar os contaminantes indesejados e a limpar a linha de combustível.
  • Agentes Lubrificantes - Controlo da fricção e desgaste através da introdução duma película redutora da fricção entre superfícies móveis.
  • Agentes Penetrantes - Aditivos que penetram através das gorduras/sujidade para permitir uma melhor limpeza ou lubrificação.
  • Atomizadores de Combustão - Aditivos que reduzem a tensão superficial do combustível provocando uma maior atomização (partículas menores). Ajudam a aperfeiçoar a combustão e reduzem as emissões.
B-gloss
  • Bacillus - Bactérias anaeróbias facultativas e Gram-negativas. São específicamente selecionadas para aplicações em águas residuais pela sua capacidade de degradar gorduras e óleos.
  • Barragem/Defletor - Barreira física numa caixa de gordura que permite a separação das gorduras sólidas da água.
  • Bombagens - O conteúdo dum interceptor de gorduras (água, FOG sólidos, sólidos) são bombados por meio de sucção até o tanque dum camião bomba.
C-gloss
  • Caixa de Gordura - Interceptor interior de graxa sobre ou baixo o solo. Uma caixa de gordura é um dispositivo criado para separar e atrapalhar as gorduras sólidas dos resíduos e de alimentos do efluente de água das cozinhas comerciais.
  • CBO - Carência Biológica de Oxigênio. Medida que determina a quantidade de oxigênio requerido por organismos aeróbios para degradar conteúdo orgânico num sistema de águas residuais.
  • Célula Vegetativa - Uma célula bacteriana que é capaz de crescimento ativo.
  • Cetano - hidrocarboneto líquido e incolor. Inflama-se com facilidade quando é exposto a uma pequena quantidade de calor.
  • Crescimento Aeróbico - bactérias que necessitam de oxigénio para crescer.
  • Crescimento Anaeróbico facultativo - Bactérias que crescem com ou sem oxigénio/ar.
  • Combustível - Qualquer líquido ou sólido que vai queimar quando inflamado por uma chama.
  • Conversor Catalítico - Parte integrante dos sistemas de controlo de emissões nos veículos desde 1975. A sua função é converter os poluentes nocivos em emissões menos prejudiciais. Os conversores de oxidação ajudam a eliminar os hidrocarbonetos e o monóxido de carbono (CO) dos gases de escape, enquanto os conversores de redução controlam as emissões de óxido de azoto (Nox).
  • CQO - Carência Química de Oxigênio. Medida que determina a quantidade de matéria orgânica nas águas residuais.
  • COV - Os Compostos Orgânicos Voláteis são produtos químicos orgânicos que formam facilmente vapor à temperatura e pressão normais; são também incolores e inodoros. São chamados orgânicos porque contêm o elemento carbono na sua estrutura molecular.
D-gloss
  • Depósitos no motor - A acumulação persistente ou dura de lama, verniz e resíduos carbonosos devido à fuga de combustível não queimado e parcialmente queimado, ou a degradação parcial do lubrificante do cárter. A água da condensação de produtos da combustão, carbono, resíduos de combustível ou aditivos lubrificantes, poeiras e partículas metálicas também contribuem.
  • Desengordurantes de Base Aquosa - Desengordurantes que geralmente contêm mais de 50% de água.
  • Desengordurantes de Base Solvente - Desengordurantes que contêm mais de 50% solventes de petróleo ou terpeno.
E-gloss
  • Emissões (fontes móveis - Veículos) – A combustão do combustível leva à emissão de gases de escape que podem ser considerados poluentes. A água e CO2 não estão incluídos nesta categoria mas CO, Nox e hidrocarbonetos estão sujeitos a controlo legislativo. Estes três são emitidos por motores a gasolina. Os motores a gasóleo também emitem partículas (por exemplo, PM10).
  • Emissões (fontes fixas) – A composição do combustível pode influenciar as emissões de óxido de enxofre e partículas de centrais eléctricas. As autoridades locais controlam o teor de enxofre de combustíveis pesados usados em tais aplicações.
  • Emulsificação – A mistura de óleo e água or quaisquer duas substâncias que não se misturam naturalmente, necessitando de um emulsionante.
  • Emulsionante – Uma substância que promove a mistura de óleo e água ou quaisquer duas substâncias que não se misturam naturalmente.
  • EN590 - EN590 descreve as propriedades físicas que todo o gasóleo rodoviário deve cumprir para ser vendido na União Europeia, Croácia, Islândia, Noruega e Suíça. Atualmente, permite a combinação até 7% Bio-diesel (por exemplo, ésteres metílicos de ácido gordo) com gasóleo 'convencional'.
  • Enzima - Uma substância, normalmente usada em pequenas quantidades em relação aos reagentes, que modifica e incrementa a taxa de uma reacção sem ser consumida no processo.
  • Enxaguamento Fácil – Não deixa resíduos oleosos que atrem o pó. Não é preciso esfregar após a aplicação.
  • Enxofre – Um lubrificante natural no gasóleo que oferece uma lubrificação adicional. Contudo, para evitar a emissão de gases de Dióxido de Enxofre (SOx) etc, a Comunidade Europeia exige o uso de um máximo de 10 ppm de enxofre no gasóleo.
  • Esporo – Um esporo Bacillus é uma célula em estado latente, em estado de resposo, com um revestimento protetor
  • ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais
  • Evaporação – Velocidade à qual um líquido muda do estado líquido para o estado gasoso. Os solventes muito inflamáveis ou com um baixo ponto de inflamação costumam evaporar-se rapidamente
  • Extensibilidade da água – Solvente/Detergente diluído com água para uso.
F-gloss
  • FAME – Ésteres Metílicos de Ácido Gordo. Os FAME são produzidos por uma reação catalizada por alcalis entre gorduras (vegetais, animais ou resíduos de óleos de cozinha) ou ácidos gordos e metanol. Têm propriedades físicas semelhantes às do gasóleo convencional, são biodegradáveis e atóxicos. As moléculas do bio-diesel são maioritariamente FAME.
  • Filtro de Partículas – Um filtro de partículas diesel (DPF) é um dispositivo criado para eliminar a partículas diesel ou fuligem do gás de escape. O DPF é geralmente regenerado por meio da ação passiva (a temperatura do escape e tão elevada que queima as partículas de fuligem).
  • FOG – Gorduras e Óleos (Fats, Oils and Grease). Uma medida que determina a concentração destes elementos nas águas residuais. FOG é normalmente o maior problema dos clientes em aplicações comerciais das águas residuais (caixas de gordura). FOG não é um parâmetro testado de águas residuais.
  • Fuga – Passagem de gases de combustão e combustível não queimado através dos anéis dos pistões em motores de combustão interna. Isto resulta na diluição do combustível, contaminação do óleo do motor e perda de potência
G-gloss
I-gloss
  • Índice de Octanas – O índice de octanas é uma medida padrão do desempenho dum combustível. Quanto mais alto o índice de octanas, maior é compressão que o combustível pode suportar antes de queimar (sem uma faísca). Em termos gerais, os combustíveis com um maior índice de octanas são usados em motores a gasolina de elevado desempenho que requerem maiores taxas de compressão.
  • Inflamável – Qualquer substância que suporte a combustão. Para efeitos de rótulo de produto, tudo o que um ponto de inflamação de 38°C ou inferior é considerado inflamável. Os líquidos inflamáveis podem queimar apenas com uma faísca ou descarga eléctrica.
  • Inibidores – Os inibidores de corrosão ajudam a proteger superfícies ou substratos.
  • Inibidores de Corrosão - Aditivos para reduzir o avanço da oxidação do combustível em armazém que poderia conduzir à formação de resinas e bloqueios de linhas.
  • Interceptor de Gordura – Separador físico exterior (geralmente enterrado no solo) de gorduras e sólidos das águas residuais. Este é geralmente o ponto final antes das águas residuais serem enviada para a cidade.
L-gloss
  • Lípase – Enzima que inicia a degradação de gorduras e óleos (FOG).
M-gloss
  • Matéria orgânica - Matéria proveniente de um organismo outrora vivo e capaz de decomposição ou o produto da decomposição ou composto por componentes orgânicos.
  • Melhoradores de Cetano - Um aditivo (geralmente um nitrato orgânico) que aumenta o número de cetano de um combustível e oferece uma combustão melhorada.
  • Motor a Gasóleo – criado por Rudolf Diesel e patenteado em 1892, um motor a gasóleo é um motor de combustão interna que usa o calor da compressão para iniciar a ignição e queimar o combustível que tem sido injectado na câmara de combustão. O processo de explosão é o seguinte:
    1.Fase de Admissão – A válvula de admissão abre-se, o ar entra, e o pistão desce
    2.Fase de Compressão – O pistão sobe e o ar é comprimido (aquecido em excesso a 540°C)
    3.Fase de Combustão – O combustível e injectado (no momento certo), ignição, o pistão desce
    4.Fase de Escape – O pistão sobe e pressiona os gases através da válvula de escape
  • Motor a Gasolina – Um motor a gasolina é um motor de combustão interna com ignição por faísca, concebido para funcionar a gasolina. O processo de explosão abrange:
    1. Fase de Admissão – O combustível é misturado com ar
    2.Fase de Compressão – O pistão sobe e a mistura de ar/combustível é comprimida
    3.Fase de Combustão – A mistura de combustível/ar é inflamada através do uso de uma vela de ignição
    4.Fase de Escape – O pistão sobre e pressiona os gases através da válvula de escape
  • Motor Turbo – Turbo diesel faz referência a qualquer motor a gasóleo com um turbocompressor. O Turbocompressor comprime o ar e assim uma maior quantidade é admitida no cilindro com mais combustível para obter maior potência. Comum nos motores modernos a gasóleo de automóveis e camiões com vista a gerar maior potência, menores níveis de emissões e uma eficiência melhorada num motor de capacidade semelhante.
N-gloss
  • N – Azoto - É o elemento químico com o número atómico sete. À temperatura ambiente é um gás de moléculas diatómicas, incolor e inodoro.
  • Não inflamável – Qualquer substância que não suportará uma combustão. Muitos dos solventes clorados e fluorados proibidos eram não inflamáveis. Atualmente, cada vez mais emulsionantes são inflamáveis ou combustíveis.
  • Número de Cetano - O número de cetano é uma medida da qualidade de ignição do gasóleo. Quanto maior o número de cetano, maior a facilidade com que o combustível entra em combustão em condições de compressão (tal como um motor a gasóleo).
O-gloss
  • Óxido de Azoto - Os óxidos de azoto (NOx, NxO) podem referir-se a um composto binário de oxigênio e azoto, ou a uma mistura desses compostos.
  • Oxigénio Dissolvido (OD) – Medida da quantidade de oxigénio dissolvido na água e disponível para promover o crescimento bacteriano.
P-gloss
  • P - Fósforo - Um elemento químico não-metálico com o símbolo P e o número atómico 15.
  • Ponto de Inflamação – A temperatura (graus centígrados - °C) mais baixa a que um solvente se inflama se for exposto a uma fonte de ignição.
  • Pseudomonas – Bactérias que não produzem esporos e permanecem como células vegetativas.
  • Protease – Enzima que inicia a degradação de proteinas.
Q-gloss
  • Qualidade do Gasóleo – A qualidade de um combustível é afectada pelo processo de produção. São extraidos os graus mais pesados de crude. As melhores partes são usadas para produzir gasolina, carborreactores e querosene. A parte do gasóleo é refinada para cumprir os padrões mínimos para os mercados regionais. No entanto, a qualidade pode variar entre as diversas regiões e mesmo dentro delas.
R-gloss
  • Recirculação do Gas de Escape (RGE)Recirculação dos Gases de Escape (EGR) – Sistema para reduzir os óxidos de azoto (Nox). Através de uma válvula, mistura alguns dos gases de escape com o ar que entra. Isto reduz a quantidade de oxigénio necessária, o que causa temperaturas de combustão mais baixas, reduzindo assim a tendência do Nox para se formar. Na maioría dos sistemas EGR, o escape também é arrefecido antes de ser misturado com o gás.
  • Redução Catalítica Seletiva (SCR) – A Redução Catalíca Seletica (SCR) converte os óxidos de azoto (NOx), com a ajuda de um catalizador e um químico, para Azoto (N2) e água. O químico é geralmente uma solução de ureia (por exemplo, Adblue) que é injectada à corrente de escape e em contato com o catalizador SCR produz amoníaco, convertendo em seguida o NOx em Azoto e Água.
  • Resíduos de Carbono – material queimado após o combustível ter sido exposto a altas temperaturas em condições controladas.
  • Rigidez dieléctrica – Um teste para óleos e solventes usado em itens elétricos. Duas chapas metálicas são mergulhadas em líquido enquanto uma crescente corrente elétrica passa entre elas; quando a corrente for suficientemente forte para "romper" o líquido, a voltagem da corrente é registada.
S-gloss
  • Solvente – Composto (hidrocarboneto ou clorado) capaz duma evaporação completa. Qualquer substância capaz de dissolver outra substância para obter uma mistura.
  • Solventes Clorados/Fluorados – Materiais derivados do petróleo aos quais foram adicionados Cloro e Flúor para tornao o item menos inflamável ou completamente não-inflamável.
  • Solventes de Limpeza – Solta e elimina resíduos para melhorar as emissões de gases de escape e o desempenho.
  • Solvente de Petróleo – Um líquido de hidrocarboneto derivado de crude refinado ou parcialmente refinado ou gás natural.
  • SS – Sólidos Suspensos. Pequenas partículas sólidas que permanecem em suspensão na água. É usado como indicador da qualidade da água. A remoção dos SS é geralmente conseguida através da utilização da sedimentação e/ou filtros de água. Isto é seguido de desinfecção para assegurar que qualquer quantidade restante de SS é inativada.
  • SST- Sólidos Suspensos Totais. Medida que determina a percentagem de sólidos suspensos na água. Geralmente estas partículas são invisíveis a olho nu.
T-gloss
  • Tecnología Common Rail – Uma bomba de alta pressão transfere o combustível a um sistema common rail (eixo oco). Este armazena e, em seguida, fornece as quantidades exatas de combustível até 25.000 psi, à câmara de combustão através de injectores electrónicos controlados por computador. Estes últimos são independentes da velocidade do motor e da carga.
  • Terpenos – Solventes naturais encontrados na maioria dos óleos essenciais e resinas vegetais – a maior parte dos terpenos comerciais derivam de cascas de citrinos ou pinheiro.
V-gloss
  • Verniz – Uma película fina, insolúvel e não lavável que ocorre no interior das peças do motor. Pode fazer com que as peças móveis fiquem pegajosas e funcionem mal.

Nós usamos cookies para personalizar o conteúdo, analisar o tráfego gerado no nosso site e apoiar as nossas iniciativas de marketing.

Ao continuar a navegar no nosso site consente receber os nossos cookies. Para mais informações, consulte a nossa Declaração de cookies e privacidade ou personalize as suas configurações.

I understand

Ao continuar a navegar no nosso site consente receber os nossos cookies. Para mais informações, consulte a nossa Declaração de cookies e privacidade ou personalize as suas configurações.

© Copyright 2019 NCH (UK) Ltd. Todos os direitos reservados. Chem-Aqua, Wastewater, Parts Cleaning, Maintenance, Lubricants, Partsmaster & Facilities são todas subdivisões da NCH Europe.