img water article text

Os agentes comerciais da Chem-Aqua são frequentemente questionados: "Quantas vezes preciso de testar a minha água?" A resposta a esta pergunta é tão variada como os sistemas que a Chem-Aqua trata. Há uma série de fatores que vão para determinar as "melhores práticas" para cada local. Geralmente, estes fatores são:

1. Que tipo de sistema está a ser tratado?
2. Quão essencial é o sistema para o funcionamento das instalações?
3. Qual é a disponibilidade do pessoal nas instalações? Têm formação?
4. A frequência de teste é exigida por quaisquer regulamentos ou políticas da empresa?
5. Qual é a fiabilidade dos atuais sistemas e controlos de tratamento de água?

1. Tipo de sistema

O tipo de sistema desempenha frequentemente um papel importante na resposta à questão da frequência de testes. Isto deve-se ao facto de alguns sistemas serem muito mais dinâmicos do que outros. Estes sistemas incluem:

A. Torres de refrigeração – As torres de refrigeração, apenas pela sua própria natureza, são mais dinâmicas. Os sistemas de torres de refrigeração evaporam entre 50 a 90% da água introduzida neles, com base na qualidade da água que entra. Toda a água evaporada deve ser substituída por água corrente, o que proporciona mais ocasião para complicações. Embora os equipamentos de controlo automatizado possam reduzir a frequência de alguns testes realizados no local, não eliminarão completamente a necessidade de testes, uma vez que os sensores podem perder calibração ou a conectividade pode falhar ocasionalmente.
B. Caldeiras a vapor – As instalações com caldeiras a vapor fornecem mais um exemplo de um sistema dinâmico. O ambiente num sistema de caldeiras é um estudo sobre extremas tensões. Devido a este aspeto, os problemas relacionados com a água podem surgir rapidamente, especialmente se os equipamentos de controlo de pré-tratamento ou de descarga falharem.
C. Circuitos fechados – Circuitos que não estão a perder grandes e inesperadas quantidades de água ou a experimentar contaminações relacionadas com o processo geralmente requerem testes menos frequentes.

No geral, sistemas como torres de refrigeração e caldeiras a vapor normalmente requerem mais monitorização do que circuitos fechados, porque a água nestes sistemas muda mais frequentemente do que em circuitos fechados.

2. Quão essencial é o sistema para o seu funcionamento?

Se o sistema em questão falhar ou desligar inesperadamente, quanto é que isso vai custar à empresa? Isso afetará outras instalações ou locais e terá um efeito de "reação em cadeia"?

Indiscutivelmente, todos os sistemas são importantes para o funcionamento das instalações. No entanto, alguns desempenham um papel mais significativo do que outros. Quando um sistema é essencial para o funcionamento de uma fábrica ou instalações, o sistema deve ser monitorizado e/ou testado com frequência. Testar regularmente os sistemas permite aos proprietários e operadores resolver potenciais problemas antes que se tornem grandes problemas que causam avarias no sistema e encerramentos não planeados.

Quanto mais crucial for o sistema, mais frequentemente deve ser testado.


3. Os operadores das instalações têm formação e disponibilidade para testes?

Qual é a disponibilidade dos operadores no local? No mundo do trabalho de hoje, muitas pessoas são convidadas a fazer mais com menos. Como resultado, muitas vezes é uma impossibilidade física testar um sistema mais do que uma vez por dia ou mesmo algumas vezes por semana. Além disso, muitas vezes os testes cabem aos funcionários menos experientes que podem não saber necessariamente como interpretar os resultados e determinar quais os ajustes que podem ser necessários.

Quando tais problemas surgem, é importante trabalhar com o seu profissional de tratamento de água para determinar quais os testes-chave necessários, dentro do prazo disponível. É igualmente essencial dar formação a todos os operadores sobre a importância dos testes e das respostas necessárias. Testar, mesmo ocasionalmente, pode ser melhor do que não testar de todo.


4. Regulamentos ou Políticas da Empresa

É obrigado a testar com mais frequência com base em regulamentos (como autoridades referentes a caldeiras, diretrizes sobre Legionella, etc.) ou na política da empresa? Algumas autoridades locais exigem que os testes dos sistemas de água cumpram as orientações e os regulamentos. As empresas podem também ter políticas específicas que obriguem a determinada frequência e os tipos de testes realizados. Estas políticas ou requisitos podem resultar de aprendizagens partilhadas e/ou implementação de boas práticas. É importante saber quais os regulamentos e políticas aplicáveis.

O seu profissional de tratamento de água pode ajudar a compreender tais requisitos e usá-los para gerar uma frequência de teste recomendada para o seu sistema.

5. Fiabilidade e Controlo

Os sistemas de pré-tratamento (por exemplo, descalcificantes, desalcalinizantes, filtros, osmose inversa) funcionam de forma eficiente com poucos ou nenhuns problemas? Os controladores funcionam eficazmente, perdem a calibração ou têm outros problemas regularmente? Os sistemas de água estão a ser fortemente mantidos no limiar das faixas de controlo? A contaminação por processos é uma preocupação que teria um impacto negativo num sistema de água? A monitorização online está disponível?

Uma boa compreensão de um sistema de tratamento de água não só ajudará a determinar a frequência de testes, como pode indicar onde os controlos e os impactos a montante podem ser atualizados.

Conclusão

Há muitos fatores de fiabilidade e controlo a ter em conta na determinação da frequência de teste adequada. Embora seja impossível prever quando cada problema surgirá no seu sistema, existem passos que pode tomar para ajudar a minimizar o impacto destes problemas. As medidas regulares de teste e limpeza, os procedimentos adequados de armazenamento e de lay-up podem ajudar a reduzir significativamente o potencial de problemas nos seus sistemas de água.

Os testes frequentes nem sempre significam bons resultados. Muitas vezes, um sistema pode beneficiar mais profundamente da monitorização online; reforçada por testes pouco frequentes mas impactantes.

Contacte a Chem-Aqua hoje para uma avaliação gratuita do seu sistema e receba uma recomendação personalizada da frequência de teste de um dos nossos agentes comerciais experientes.

Se o sistema em questão falhar ou desligar inesperadamente, quanto é que isso vai custar à empresa? Isso afetará outras instalações ou locais e terá um efeito de "reação em cadeia"?