Mantenha o sol a brilhar

Um guia para manter os painéis solares limpos e funcionais

Um dos resultados da Cimeira COP21 de 2015 foi o impulso para uma aceitação unificada das energias renováveis, com vista a garantir um futuro sustentável para o planeta. A energia solar é uma das fontes renováveis mais fidedignas, com diversos projetos e iniciativas governamentais em vigor em toda a Europa para incentivar mais empresas a instalar painéis. No entanto, para garantir a longevidade dos painéis estes devem ser mantidos limpos e funcionais. Mark Burnett, VP da plataforma de inovação Lubricants and Fuel Additives do fornecedor de Soluções para água, energia e manutenção NCH Europe, explica como a limpeza eficaz dos painéis solares é essencial para uma energia verdadeiramente sustentável.

Tal como sucede com todo o equipamento de geração de energia no local, os painéis solares necessitam de manutenção cuidadosa para funcionar de forma eficaz. No entanto, as fontes de eletricidade mais tradicionais eram, na maioria dos casos, muito simples. Além da instalação, não precisavam de muita atenção, a menos que houvesse um erro técnico.

Os painéis solares são algo completamente diferente. Os painéis fotovoltaicos (PV), o tipo mais comummente instalado pelas empresas, funcionam de acordo com um conceito muito simples — quanto mais luz solar absorvem, mais energia são capazes de gerar.

A utilização de painéis solares traz várias vantagens às empresas. Muitos países na Europa — nomeadamente o Reino Unido, a Alemanha e a Espanha — oferecem tarifas de aquisição que recompensam as empresas que usam energia solar, pagando-lhes para devolverem à rede elétrica nacional o excesso de energia produzida. Quanto mais energia for gerada por painéis solares eficientes, mais as empresas poderão devolver à rede.

Fontes de contaminação

Infelizmente, entre as empresas e o lucro relacionado com energia solar está a contaminação do painel. Os painéis fotovoltaicos podem ser um íman atraindo luz solar, mas também atraem um grande número de contaminantes, tais como sujidade, poluição e fezes de pássaros. Isto é inevitável, pois os painéis solares têm que estar no exterior.

Embora estas possam aparecer apenas manchas superficiais que só têm impacto estético nos painéis, a contaminação tem impacto na produção elétrica em geral. Como os painéis funcionam captando a luz solar, as marcas nos painéis tornam essas pequenas superfícies incapazes de detectar a luz devidamente. Com o tempo, isto reduz bastante a capacidade e eficiência geral do painel. Alguns painéis solares chegam mesmo a desligar completamente se houver demasiada superfície obstruída com sujidade.

Esta diminuição de eficiência traduz-se em muita perda de energia. Em 2009, o Google descobriu que limpar os painéis solares pode duplicar a produção de energia quase imediatamente. Isto pode parecer improvável, mas a empresa tinha instalado painéis fotovoltaicos em 2007 e só os limpou 15 meses depois, pelo que antes da limpeza os painéis tinham um desempenho abaixo do normal. Quando oito meses depois foram limpos, o aumento foi de 36 por cento – o que é notável, mas não é assim tão elevado porque os painéis tinham uma manutenção relativamente boa. Quanto mais regular a limpeza, mais elevada a produção total.

Não há muito que se possa fazer para evitar a acumulação dos contaminantes. A sujidade e a poeira são transferidas devido às rajadas de vento, enquanto a poluição atmosférica geral se fixa nos painéis como um subproduto da atividade industrial ou do trânsito das proximidades. Normalmente isto traduz-se numa quantidade moderada de contaminação do painel, mas no caso de fábricas e fabricantes automóveis a quantidade é significativa.

Por exemplo, as empresas que têm painéis fotovoltaicos instalados num local que também tem uma torre de arrefecimento notam os painéis atraem uma elevada quantidade de poluição. Estas fábricas também constituem um outro desafio, no qual as gotículas de água do vapor da torre de refrigeração podem entrar em contacto com os painéis, deixando manchas e marcas de contaminação mineral. Da mesma forma, não é invulgar os fabricantes automóveis encontrarem manchas oleosas, que aparecem gradualmente nos painéis solares.

É pela mesma razão que a água da chuva também constitui um problema para os painéis solares. Para além de normalmente significar a falta de luz solar para absorver, a chuva é má para os painéis fotovoltaicos, pois deixa marcas no painel propriamente dito. Ao contrário do que muitas empresas acreditam, a água da chuva na verdade suja os painéis em vez de os limpar. Este é um resultado da composição mineral e sal das gotas da chuva, bem como de partículas suspensas no ar captadas durante a precipitação e que ficam nas superfícies quando a chuva evapora. É por isso que os pára-brisas dos automóveis retêm a sujidade nos locais que as escovas não conseguem alcançar. Pelo mesmo motivo também os painéis perderão eficácia se entregues à mãe natureza.

Limpeza dos painéis

O processo de limpeza dos painéis solares é muito mais complexo do que deixar a mãe natureza tratar do assunto. Deve ser tida em conta uma série de fatores, desde a calendarização ao produto de limpeza, para remover corretamente a sujidade dos painéis e garantir um desempenho otimizado.

Uma das regras de ouro para a limpeza de painéis solares é escolher o momento certo. Dado o calor da luz solar, certamente não seria aconselhável tentar limpar algo que é no momento o ponto focal para essa luz. Portanto, é melhor limpar os painéis de manhã cedo ou à noite, quando o sol é mínimo ou nulo e as instalações estão mais frias. De manhã cedo tem a vantagem do orvalho, que pode ajudar a soltar a sujidade superficial sendo necessário menos produto para removê-la.

O passo mais importante na limpeza e manutenção de painéis solares é garantir que usa o melhor produto de limpeza. Muitos produtos comuns de limpeza para painéis são à base de álcool, o que tende a deixar manchas que bloqueiam o sol, pois o álcool é insolúvel. Na verdade, o próprio produto de limpeza contribui para a obstrução do painel.

Há uma razão por trás da popularidade dos produtos de limpeza à base de álcool. O teor de álcool ajuda a reduzir a temperatura de congelamento do produto, o que o torna adequado para os meses de inverno e climas mais frios. No entanto, essa característica é desnecessária para o resto do ano.

Para obter uma limpeza eficaz que não deixe resíduos, os engenheiros de manutenção devem usar uma alternativa sem álcool que ofereça a mesma capacidade de limpeza independentemente da estação. Como os produtos de base aquosa estão sujeitos a congelação, a melhor escolha é um produto à base de aditivo.

As Soluções de limpeza com aditivos são capazes de oferecer sempre a mesma qualidade de limpeza, independentemente das condições e sem deixar manchas residuais. Para além da limpeza em si, estes produtos também podem produzir benefícios ambientais.

Por exemplo, a NCH Europe desenvolveu duas versões do seu produto de limpeza com aditivos Screen Clean – uma em pastilhas, a outra em pó. Isto significa que há menos impacto ambiental, pois não necessitam de grandes carregamentos de água ou a utilização de garrafas de plástico. Isto torna o Screen Clean uma alternativa mais ecológica face à maioria dos produtos de limpeza para painéis solares fornecidos em formato líquido.

Ao considerar o impacto ambiental de uma solução de limpeza, também é importante prestar atenção à própria fórmula do produto. Enquanto alguns aditivos têm uma solução de pH neutro que é segura para o ambiente e para as pessoas, outros podem usar Compostos Orgânicos Voláteis (COV). Essas soluções à base de carbono secam rapidamente à temperatura ambiente, mas são nocivas para o meio ambiente devido à sua composição tóxica.

No entanto, ao usar soluções com aditivos, é importante escolher um produto compatível com o tipo de água que será usado para diluí-la. Screen Clean foi concebido para oferecer excelentes resultados, independentemente de ser diluído com água dura ou macia, mas nem todas as soluções oferecem este nível de flexibilidade.

Manter a limpeza

Uma vez limpo com um produto à base de aditivo, o painel ficará impecável e podem passar-se meses até ser necessária outra limpeza. Embora faça sentido lavar regularmente os painéis para garantir o máximo de condutividade, isto pode rapidamente tornar-se numa prática dispendiosa. Também aumenta a probabilidade de riscos na superfície do painel, os quais podem ocorrer devido à lavagem abrasiva.

Limpar os painéis solares a cada quatro a seis meses permite que as empresas aproveitem ao máximo o sol sem reduzir a eficiência ou gastar muito em soluções de limpeza. Para a Europa atingir as metas de energias renováveis, descritas em COP21, é importante que as instalações sejam mantidas adequadamente, para que o ambiente e as empresas possam verdadeiramente ver as vantagens da energia solar.

Caixa de sugestões:

Resumo da manutenção do painel solar

  1. Certifique-se de que efetua a limpeza de manhã cedo ou à noite, pois é o momento em que os painéis estão mais frios. O orvalho da manhã também pode facilitar a limpeza.
  2. Escolha cuidadosamente o produto. Os produtos à base de álcool são eficientes apenas com tempo mais frio e podem deixar manchas. Procure soluções com aditivos.
  3. Não limpe os painéis com demasiada frequência. A limpeza regular pode tornar-se um processo dispendioso e pode riscar a superfície.