Devido à sua natureza, as torres de refrigeração esfregam continuamente partículas do ar. Estas acumulam-se em áreas de baixo fluxo, tornam-se nutrientes para micróbios e constituem a condição ideal para a formação de biofilme. O biofilme é provavelmente o maior desafio que uma torre de refrigeração enfrenta. Até há bem pouco tempo, o nosso conhecimento do biofilme era extremamente limitado. No entanto, novas provas científicas revelaram a sua estrutura complexa e desvendaram novas formas para enfrentar este inimigo oculto, como nos explica em mais pormenor a Dr.ª. Simona Vasilescu da Plataforma Water Treatment da NCH Europe.

O biofilme está em toda a parte

Desde os micróbios úteis que povoam os nossos intestinos à sujidade que nos esforçamos por remover dos azulejos da nossa casa de banho. O biofilme é uma comunidade de microrganismos fixa a uma superfície e que se mantém junta através de uma viscosa secreção bacteriana.

A ciência por trás do biofilme

Os grandes avanços na pesquisa de biofilme ocorreram apenas nos últimos dez a quinze anos. Técnicas emergentes de microbiologia e biologia molecular têm permitido o desenvolvimento de novas avaliações no terreno e de laboratório. Com o conhecimento e a compreensão de como os biofilmes são complexos e incrivelmente tenazes, começamos a entender o seu significativo impacto na nossa vida quotidiana, da área biomédica à indústria.

Especificamente em sistemas de águas industriais, o biofilme é formado quando o lodo encapsula as bactérias que tenham ficado agarradas a uma superfície. O biofilme é extremamente eficaz em proteger as bactérias de qualquer tratamento biocida adicionado à água. Pesquisas recentes mostram que os biofilmes são muito difíceis de remover de um sistema, pois as bactérias vivem em comunidades altamente sofisticadas que são capazes de se adaptar constantemente para se tornarem resistentes ao tratamento químico.

Os biofilmes e o seu impacto no desempenho dos sistemas de refrigeração

Os biofilmes são muito mais isolantes do que as incrustações de carbonato de cálcio ou os depósitos de óxido de ferro, tradicionalmente reconhecidos como problemáticos, explica a Dr.ª Vasilescu. Por exemplo, uma camada de apenas 0,1 mm de biofilme é quatro vezes mais isolante do que um revestimento equivalente de incrustações ou acumulação de óxido de ferro, tendo um impacto enorme na sua factura anual de eletricidade.

As tubagens e o equipamento vital dos sistemas de refrigeração, como permutadores de calor, refrigeradores, etc., podem ser bastante danificados pelas bactérias que crescem debaixo e dentro da camada de biofilme. A deterioração, chamada corrosão microbiológica induzida (MIC), é 1.000 vezes mais agressiva do que a corrosão normal e é responsável por 50 por cento do custo total de prevenção de corrosão e tratamento para a economia mundial.

Os biofilmes também são a segurança perfeita para patógenos, como a Legionella mortal. Estes estão protegidos pelo biofilme e podem proliferar no interior e eventualmente ser libertados em gotículas de água na atmosfera.

Enfrentar o problema

Os biofilmes são muito finos e difíceis de detectar, especialmente porque em qualquer sistema de água há muitos cantos e áreas de baixo fluxo para o biofilme se desenvolver. Em muitos casos, o biofilme pode evoluir agressivamente num curto espaço de tempo. Quando os biofilmes se tornam visíveis, muitas vezes é tarde demais: nessa fase, tornam-se extremamente difíceis de gerir.

Na NCH investimos em pesquisa avançada para desenvolver tratamentos químicos capazes de desfazer biofilmes, tornando os nossos programas de tratamento de águas mais eficazes e protegendo os bens dos nossos clientes.

O nosso Novo Grupo de Ciência e Tecnologia, trabalhando em estreita parceria com os principais grupos de Pesquisa & Desenvolvimento de universidades, concebeu uma nova fórmula capaz de desbloquear o complexo escudo da matriz que dá ao biofilme a sua incrível resistência. O novo produto patenteado chamado bioeXile é 1.000 vezes mais eficaz ao penetrar biofilmes do que o biocida sozinho e 100 vezes mais eficaz do que biocidas em conjunto com biodispersantes tradicionais.

A luta contra o biofilme é uma batalha contínua. Portanto, envolver uma empresa de tratamento de água especializada que compreende como lidar com biofilmes pode ser a forma mais fácil para desarmar esta bomba-relógio mortal.