Seja inteligente ao tratar os resíduos

Mudando o mundo de tratamento de águas residuais industriais.

À medida que a Internet das Coisas (Internet of Things - IoT) continua a reforçar a interação com o mundo à nossa volta tornando-nos cada vez mais eficientes e ecológicos, a pressão é no sentido das empresas tornarem os seus processos mais eficazes. A NCH Europe observa o rosto em mudança do tratamento das águas residuais.

Como consumidores, vivemos cada vez mais num mundo dividido. Por um lado, o sector de electrónica de consumidor está adotar o aparecimento da Internet das coisas (IoT), um perfeito exemplo disto é a última oferta da LG – um frigorífico inteligente que envia tweets ao proprietário quando os consumíveis estão a acabar. Por outro lado, os sectores industriais ainda dependem de sistemas que utilizam processos com grande componente manual que são dispendiosos e demorados.

Trabalho duro

As máquinas e os equipamentos usados para várias aplicações, incluindo processamento de alimentos e estações de tratamento de águas residuais industriais, podem ficar rapidamente obstruídos com gorduras e óleos (FOGs) bem como outros tipos de resíduos orgânicos. Para assegurar que as instalações se mantêm a funcionar de forma eficiente, é regularmente exigido aos operadores que desentupam canalizações, caixas de gordura e estações elevatórias com apenas algumas ferramentas manuais, produtos químicos agressivos e trabalho duro.

Embora este processo surta eventualmente efeito, exige muito trabalho manual, é prejudicial para o meio ambiente e requer frequentemente tempo de inatividade dispendioso para ser concluído. Embora as empresas se tenham acostumado a estes custos ao longo do tempo, há uma verdadeira vantagem competitiva no fim do túnel para as empresas que trabalham mais e de forma mais segura e inteligente.

Seja inteligente

Para ultrapassar este problema, os engenheiros e cientistas de renome da NCH Europe combinaram microbiologia e engenharia para desenvolver o BioAmp. O BioAmp, uma unidade de fermentação microbiana patenteada e controlada por computador, instalada no local, proporciona uma dose personalizada de bactérias ativas que ocorrem naturalmente, diretamente na canalização, caixas de gordura e estações elevatórias. As bactérias começam a atuar imediatamente, reduzindo a acumulação de FOGs e resíduos orgânicos no efluente e eliminando maus cheiros.

É aqui que reside a oportunidade para implementar uma abordagem IoT. As fábricas podem tornar-se mais inteligentes e as estações de tratamento de águas residuais mais eficientes. A dosagem precisa e automatizada é apenas a ponta do iceberg. O BioAmp 5000 CCU também possui controlo automático, usando a mais recente tecnologia de controlador lógico programável (PLC), bem como uma conexão celular GSM para que as funções principais do sistema possam ser monitorizadas remotamente para uma manutenção fácil.

Em muitas fábricas, já estamos a ver o surgimento de sistemas de visão de realidade aumentada que podem mostrar rapidamente aos operadores os processos internos e software de virtualização que pode mostrar uma fábrica em tempo real, usando os dados de inúmeros sensores incorporados.

O cerne da questão

Um dos maiores desafios de regulamentos que as estações de tratamento de águas residuais e industriais enfrentam é o cumprimento das regras sobre a descarga de efluentes. Os níveis aceitáveis e as taxas associadas à descarga de efluentes são determinados usando a escala de Mogden, que mede várias características, tais como a carência química de oxigénio (CQO), a quantidade de sólidos suspensos (SS), bem como a concentração de amoníaco em algumas aplicações.

Para aplicações menores existe o BioAmp 750CCU, um sistema de doseamento para interiores e exteriores com controlo térmico que doseia 30 biliões de bactérias vivas, seguras e ativas a cada 24 horas, acelerando a decomposição natural de resíduos orgânicos. Para aplicações maiores e mais complexas há o BioAmp 5000 CCU, capaz de dosear 500 biliões de bactérias vivas vegetativas a cada 24 horas.

Redução de custos

Com vista a gerar uma redução de custos considerável o maior sistema BioAmp apresenta um tanque de crescimento aquecido que é abastecido com FreeFlow ativo, uma solução nutriente especialmente formulada que incorpora um sistema de arejamento exclusivo, que mantém o oxigénio dissolvido nos níveis máximos.

Com o tempo, o BioAmp 5000 CCU reduz os requisitos para oxigénio dissolvido no sistema, para que os motores e as bombas de arejamento não tenham que trabalhar tanto, os volumes de lama são drasticamente reduzidos e a carga orgânica do sistema é reduzida através da digestão dinâmica. Isto também reduz o volume de coagulantes e floculantes químicos necessários para o tratamento de efluentes.

Uma abordagem inteligente

Muitas vezes criticadas por serem lentas a mudar, as empresas do sector industrial podem beneficiar verdadeiramente da ascensão da IoT adotando uma abordagem mais inteligente ao mundo do tratamento de águas residuais industriais. Ao fazê-lo, podemos esperar colmatar a lacuna num mundo dividido pela tecnologia.

 

À medida que a Internet das Coisas (Internet of Things - IoT) continua a reforçar a interação com o mundo à nossa volta tornando-nos cada vez mais eficientes e ecológicos, a pressão é no sentido das empresas tornarem os seus processos mais eficazes. A NCH Europe observa o rosto em mudança do tratamento das águas residuais.

Como consumidores, vivemos cada vez mais num mundo dividido. Por um lado, o sector de electrónica de consumidor está adotar o aparecimento da Internet das coisas (IoT), um perfeito exemplo disto é a última oferta da LG – um frigorífico inteligente que envia tweets ao proprietário quando os consumíveis estão a acabar. Por outro lado, os sectores industriais ainda dependem de sistemas que utilizam processos com grande componente manual que são dispendiosos e demorados.

Trabalho duro

As máquinas e os equipamentos usados para várias aplicações, incluindo processamento de alimentos e estações de tratamento de águas residuais industriais, podem ficar rapidamente obstruídos com gorduras e óleos (FOGs) bem como outros tipos de resíduos orgânicos. Para assegurar que as instalações se mantêm a funcionar de forma eficiente, é regularmente exigido aos operadores que desentupam canalizações, caixas de gordura e estações elevatórias com apenas algumas ferramentas manuais, produtos químicos agressivos e trabalho duro.

Embora este processo surta eventualmente efeito, exige muito trabalho manual, é prejudicial para o meio ambiente e requer frequentemente tempo de inatividade dispendioso para ser concluído. Embora as empresas se tenham acostumado a estes custos ao longo do tempo, há uma verdadeira vantagem competitiva no fim do túnel para as empresas que trabalham mais e de forma mais segura e inteligente.

Seja inteligente

Para ultrapassar este problema, os engenheiros e cientistas de renome da NCH Europe combinaram microbiologia e engenharia para desenvolver o BioAmp. O BioAmp, uma unidade de fermentação microbiana patenteada e controlada por computador, instalada no local, proporciona uma dose personalizada de bactérias ativas que ocorrem naturalmente, diretamente na canalização, caixas de gordura e estações elevatórias. As bactérias começam a atuar imediatamente, reduzindo a acumulação de FOGs e resíduos orgânicos no efluente e eliminando maus cheiros.

É aqui que reside a oportunidade para implementar uma abordagem IoT. As fábricas podem tornar-se mais inteligentes e as estações de tratamento de águas residuais mais eficientes. A dosagem precisa e automatizada é apenas a ponta do iceberg. O BioAmp 5000 CCU também possui controlo automático, usando a mais recente tecnologia de controlador lógico programável (PLC), bem como uma conexão celular GSM para que as funções principais do sistema possam ser monitorizadas remotamente para uma manutenção fácil.

Em muitas fábricas, já estamos a ver o surgimento de sistemas de visão de realidade aumentada que podem mostrar rapidamente aos operadores os processos internos e software de virtualização que pode mostrar uma fábrica em tempo real, usando os dados de inúmeros sensores incorporados.

O cerne da questão

Um dos maiores desafios de regulamentos que as estações de tratamento de águas residuais e industriais enfrentam é o cumprimento das regras sobre a descarga de efluentes. Os níveis aceitáveis e as taxas associadas à descarga de efluentes são determinados usando a escala de Mogden, que mede várias características, tais como a carência química de oxigénio (CQO), a quantidade de sólidos suspensos (SS), bem como a concentração de amoníaco em algumas aplicações.

Para aplicações menores existe o BioAmp 750CCU, um sistema de doseamento para interiores e exteriores com controlo térmico que doseia 30 biliões de bactérias vivas, seguras e ativas a cada 24 horas, acelerando a decomposição natural de resíduos orgânicos. Para aplicações maiores e mais complexas há o BioAmp 5000 CCU, capaz de dosear 500 biliões de bactérias vivas vegetativas a cada 24 horas.

Redução de custos

Com vista a gerar uma redução de custos considerável o maior sistema BioAmp apresenta um tanque de crescimento aquecido que é abastecido com FreeFlow ativo, uma solução nutriente especialmente formulada que incorpora um sistema de arejamento exclusivo, que mantém o oxigénio dissolvido nos níveis máximos.

Com o tempo, o BioAmp 5000 CCU reduz os requisitos para oxigénio dissolvido no sistema, para que os motores e as bombas de arejamento não tenham que trabalhar tanto, os volumes de lama são drasticamente reduzidos e a carga orgânica do sistema é reduzida através da digestão dinâmica. Isto também reduz o volume de coagulantes e floculantes químicos necessários para o tratamento de efluentes.

Uma abordagem inteligente

Muitas vezes criticadas por serem lentas a mudar, as empresas do sector industrial podem beneficiar verdadeiramente da ascensão da IoT adotando uma abordagem mais inteligente ao mundo do tratamento de águas residuais industriais. Ao fazê-lo, podemos esperar colmatar a lacuna num mundo dividido pela tecnologia.