Dominar a arte do tratamento de águas

Já alguma vez foi ao circo e ficou impressionado com os artistas que andam corajosamente no arame? Esta exibição de graça e equilíbrio pode causar espanto a muitos, mas para aqueles que trabalham em tratamento de águas é na verdade apenas uma manifestação física do seu trabalho! Venham, venham todos, enquanto a Dr.ª Simona Vasilescu, da Plataforma de Inovação Water Treatment do fornecedor mundial de soluções para água, energia e manutenção NCH Europe, explora o maior espetáculo de química.

Um tratamento de águas eficaz é um exercício de equilíbrio entre precisão, consciência e conhecimento. Enquanto que muitos, que não estão diretamente envolvidos no processo, o podem ver como um simples ato de verter uma solução num sistema de refrigeração de água e ir embora, o processo real depende totalmente da precisão e do conhecimento profundo da água no sistema. Uma dosagem ineficaz origina um tratamento ineficaz e um tratamento ineficaz pode originar problemas muito maiores, como a Legionella.

Identificar problemas específicos é o primeiro passo para dominar o arame do tratamento de águas para evitar cair na jaula do leão da Legionella. Por exemplo, o problema no seu sistema pode não ser de todo a Legionella – pode ser o cálcio presente no abastecimento de água. Neste caso, seria necessária uma solução para combater a incrustação, pelo que um inibidor de corrosão não teria qualquer efeito.

Da mesma forma, se um engenheiro só doseia uma parte por milhão (ppm) de solução, quando na verdade o sistema necessita de pelo menos três, tudo isto se torna um exercício de futilidade. Mas, embora seja fundamental que um engenheiro verifique as quantidades exatas necessárias, há uma série de outros factores que devem ser tomados em consideração para proporcionar um tratamento eficaz.

Meia-vida

A meia-vida de uma solução pode, por exemplo, tornar infrutífera uma estratégia eficaz de tratamento. Com o decorrer do tempo, a concentração da solução diminui à medida que a água evapora ou escoa. Por essa razão, devem ser tidas em consideração as necessidades específicas do sistema. Caso contrário, pode estar a dosear as soluções certas, mas os níveis não serem suficientemente elevados para as concentrações ideais ficarem o tempo suficiente para os biocidas fazerem o seu trabalho.

Em alguns casos, as soluções de biocida podem demorar algumas horas para se tornarem plenamente eficazes no sistema. Se o caudal de purga do sistema significa que a meia-vida de 300ppm do biocida é de duas horas, não vai começar a atuar até já estar a menos de 50 por cento de eficácia.

Para controlar tudo isto, os engenheiros podem calcular a meia-vida do produto fazendo uma equação, usando a taxa de purga de abastecimento de água e dosear em conformidade. Em vez de usar 10 ppm de um inibidor para condicionar 300 ppm de cálcio e combater as incrustações, os engenheiros devem usar mais, dependendo dos seus cálculos específicos.

Flutuações

Obviamente que o mundo não é tão perfeito ao ponto dos fornecedores de tratamento de águas poderem identificar os problemas com precisão extrema. Não é invulgar ocorrerem flutuações, as quais podem levar a um aumento no teor de contaminantes e causar problemas às soluções de tratamento.

Por exemplo, uns aflitivos 300ppm de cálcio podem ser facilmente tratados com 10ppm de anti-incrustante, mas um súbito afluxo de 5ppm de cálcio na fonte de água resulta na opressão da dose ativa pelo contaminante. Há várias razões para isto suceder, tais como fechar uma válvula de purga no sistema.

Em casos como este pode-se naturalmente supor que a melhor estratégia seria adicionar mais solução. No entanto, ao aumentar a dosagem, torna-se cada vez mais difícil evitar o tratamento excessivo do abastecimento de água.

Para superar este problema de flutuação, a NCH Europe desenvolveu os modificadores de cristal que podem trabalhar juntamente com inibidores de limiar para fornecer apoio adicional. Se ocorrerem flutuações de cálcio, os modificadores atuam fazendo jus ao seu nome e modificam a estrutura molecular do próprio cálcio. Esta modificação suaviza as bordas da molécula de cálcio e torna-a incapaz de aderir a tubos de metal, reduzindo o risco de acumulação de incrustações.

Uma rotina sem falhas

Assim que os problemas imediatos tiverem sido resolvidos, é uma questão de manter uma rotina contínua de tratamento que irá manter os contaminantes sob controlo. Uma boa estratégia de tratamento não depende exclusivamente de tratar a água com a mesma solução todos os meses, mas irá avaliar regularmente a água e adaptar-se em conformidade.

Não há duas avaliações iguais, por isso é essencial que os fornecedores de tratamento de águas sejam capazes de oferecer apoio contínuo e conhecimento profundo aos engenheiros da empresa. Nós orgulhamo-nos da nossa experiência técnica na NCH Europe e certificamo-nos de que cada um dos nossos clientes recebe as melhores soluções de tratamento personalizado que permanecem eficazes.

De certa forma, o impressionante exercício de equilibrismo do tratamento de águas não é apenas um caso de manter o equilíbrio no arame mas sim gerir o desempenho geral do evento. Ao prestar a devida atenção a todos os detalhes, as empresas podem assumir o papel de apresentador para manter a ordem e evitar o dispendioso tempo de inatividade. Afinal, o espetáculo tem de continuar!